"Role and Impact of Tourism in Peacebuilding and Conflict Transformation - Tourism, Citizenship, and Education: A Virtuous Triangle for Peacebuilding", Adalberto Dias de Carvalho

"Tourism is not necessarily an activity that contributes to the promotion of peace. Well-known testimonies and criticisms point out their adverse effects and consequent rejection, namely in terms of intensive occupation of territories and tampering with local cultures and identities. These harmful impacts undermine the sustainability of tourism, in its complexity (which imply a harmonious but fragile system of interdependent variables, considering the existence of open and universal hospitality) and multidimensionality (because its variables are of a different, but coherent, nature). In this context, sustainability, as necessary and vulnerable, can be easily threatened by immediate economic interests and by significant gaps in civic awareness and the exercise of citizenship by all or part of the tourism protagonists and responsible. Thus, the importance of an education that takes into account the perspective of universal solidarity, which privileges, among others, the contributions of John Dewey’s “cultural criticism” and of interactive constructivism."

Publicações com o apoio do ISCET

"Antropologia da Exclusão ou o Exílio da Condição Humana", Adalberto Dias de Carvalho

Este livro pretende ser um ensaio sobre a necessidade de, em educação e no trabalho social, se adotar uma mudança estratégica de paradigma relativamente àqueles que devem ser os objetivos de qualquer projeto que vise a formação ou o apoio a pessoas, seja a crianças e jovens ao longo da sua vida nas escolas, seja a pessoas em situação de rutura iminente ou já de exclusãoconsumada. Trata-se, em qualquer dos casos, de perceber que a realização de itinerários de vida, ou a sua reorganização, passa pela capacidade de lidar com riscos, indefinições, mutações, flutuações, etc., que pouco terão a ver com a rigidez de princípios abstratos, a solidez de práticas estáveis ou a segurança de comportamentos que passem pelo conforto da mediania. C’est la marge qui tient la page ("É a margem que segura a página"), eis a frase que um dia Jean-Luc Goddard escreveu e que Philippe Meirieu usou precisamente para ilustrar a importância que as condutas escolares consideradas desobedientes, portanto na margem da educação, podem ter para o entendimento e desenho das intervenções educativas… Eis o pensamento que ousámos acolher para inspirar as reflexões que constituem o cerne do presente trabalho.

Solidão nos limiares da pessoa e da solidariedade | Adalberto Dias de Carvalho (Org.) | Edições Afrontamento, 2012

 

Este livro reúne um importante conjunto de textos relativos a intervenções ocorridas no decurso do Congresso Internacional “A solidão nos limiares da pessoa e da solidariedade: entre os laços e as fracturas sociais” / III Congresso da SOFELP, o qual contou com o apoio da FCT – Fundação para a Ciência e Tecnologia. Optou-se por conservá-los nas línguas em que foram originalmente de modo a permitir ao leitor confrontar-se com a realidade das palavras e das frases utilizadas pelos diferentes autores. As abordagens, naturalmente diversificadas quanto às suas origens e temáticas, concorrem todas, contudo, para um aprofundamento criticamente fundamentado da problemática da solidão, questão incontornável no âmbito das nossas sociedades enquanto estas são percorridas por novos fenómenos de afirmação das entidades individuais e colectivas, identidades das quais emergem concepções inéditas de comunidade, de sociedade, de liberdade, de responsabilidade e de autonomia. Concepções a que não é estranha uma renovada consciência da vulnerabilidade humana e de toda a sua envolvente.

 

Solidão e solidariedade: entre os laços e as fracturas sociais | Adalberto Dias de Carvalho (Org.) | Edições Afrontamento, 2011

 

A solidão constitui um fenómeno tão sentido quanto temido pela generalidade das pessoas. Tornou-se assim um tabu omnipresente e, como tal, sistematicamente escamoteado no quotidiano das pessoas e dos grupos. A ciência, por seu turno, vai preferindo falar de noções conexas como a de depressão ou a de melancolia. O risco para o senso comum é o de este não valorizar – positiva ou negativamente – uma das dimensões incontornáveis da existência humana; para a ciência, a redução da solidão a um conceito pode, por seu turno, esvaziá-la pura e simplesmente de sentido. Neste livro, disponibiliza-se ao leitor um importante conjunto de contributos multidisciplinares escritos por especialistas que olharam a solidão a partir das suas formações, das suas culturas e, portanto, de uma forma ou de outra, no espaço e no tempo das suas preocupações e perspectivas.

 

Solidão, educação e condição humana | Adalberto Dias de Carvalho (Org.) | Edições Afrontamento, 2011

 

A solidão é com certeza um fenómeno antropológico com impacto universal. Todavia, será um facto que cada cultura a perspectiva de uma maneira própria quer quando as pessoas e os grupos a vivem, quer quando os estudiosos fazem dela um objecto de investigação. Este livro reúne um importante conjunto de textos em que investigadores de língua portuguesa de várias latitudes reflectem sobre a solidão, muitas vezes relacionando-a com um outro fenómeno que só aparentemente se lhe apõe: a solidariedade. Com efeito, na solidão podemos encontrar os outros; com a solidariedade criamos ou aprofundamos os laços que aos outros nos unem, designadamente aos que experimentam a solidão. Os trabalhos deste livro espelham a qualidade das pesquisas de uma comunidade que quantas vezes se desconhece a si mesma e, assim, não projecta no mundo a riqueza da sua especificidade, a qual importa pôr ao serviço da humanidade no seu conjunto. Daí, a grande importância desta obra colectiva que agrupa textos de algumas das conferências e comunicações apresentadas ao III Congresso da SOFELP – Sociedade de Filosofia da Educação de Língua Portuguesa/Congresso Internacional “A solidão nos limiares da pessoa e da solidariedade: entre os laços e as fracturas sociais”. Estes eventos tiveram lugar no Porto: entre 18 e 20 de Maio de 2011, por iniciativa do Gabinete de Filosofia da Educação do Instituto de Filosofia da Universidade do Porto (Research Groups “philosophy of Education and Contemporaneity” e “philosophy of education in the Portuguese-speaking world”) e do CIIIC – Centro de Investigação Interdisciplinar e Intervenção Comunitária do ISCET – Instituto Superior de Ciências Empresariais e do Turismo, com o apoio da FCT – Fundação para a Ciência e Tecnologia.

Entrevista

Entrevista ao Professor Adalberto Dias de Carvalho

Revista A Página da Educação: "A solidão é um estado de alma"

Nº 193 | Verão 2011 | Série II

Este site utiliza cookies para ajudar a disponibilizar os respetivos serviços e analisar o tráfego. As informações sobre a sua utilização deste site são partilhadas com a Google. Ao utilizar este site, concorda que o mesmo utilize cookies.